Voadores bem vindos

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Devaneio




Em devaneio
Eu acho um meio
De criar meu mundo
Que seja alheio
Por um segundo

Minha alma voa
E fico a toa...
Que coisa boa!

Essa energia
Onda de alegria
Cheia de magia
Será sempre meu guia

E por um segundo
Torno eterno
O meu mundo
De paz e amor fecundo!

Claudia Anahí

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

O Verdadeiro Ser


Quando cometemos erros
Esquecemos quem somos
Nosso ser se envolve em névoas

O véu da ilusão escurece
Nos vemos através dos outros
Escondemos nossa alma
Perdendo assim toda a calma

Ao entrarmos no interior de nós
As nuvens evaporam
E a luz se enaltece

É então que conseguimos ver
Nos outros
E em nós mesmos
A chama divina do coração

Entendemos que é preciso errar
Para aprender a  lição
Que nossa jornada oferece

O amor e o perdão
Em nós deve sempre aflorar
Como benfazeja benção
Do nosso Eu superior
Que nos une ao Todo
E nos torna Um
Com todo o universo

Cláudia Anahí

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Volta de um Mundo Abandonado



O Mundo Criado
Foi abandonado
Esquecido
Deixado de lado

Frente ao esquecimento
Vem o desalento
Do sentimento
Daqueles doces momentos

Mas...sem mais nada a esperar
Sem nem perceber
Ele volta a piscar
Sua frágil e singela luz

Envolve em suaves teias
Surpreende
Invadindo de ternura
A simplicidade do Agora!


Cláudia Anahí

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Floripa




Ah Floripa...
O verde exuberante
Cobrindo teus morros
Que chegam ao azul
Como carícias ao mar

Que ritmada paisagem!

O peito se contrai de dor
Ao  ver as estradas
Rasgando tuas matas
Como veias abertas
Sem jamais cicatrizar

Será que o homem não vê
Que ao concretar sua terra
Está concretando sua própria alma?

Será que não sente
Que o asfalto
Endurece os corações
Afastando-nos do Todo

Tornando o homem
Para a natureza
Um intruso
E não mais
Parte dela?

Cláudia Anahí

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Que Belo Monte de Coisas

Cacique Raoni chora ao saber da Belo Monte


Que Belo  Monte de coisas profanas

Que Belo Monte de inundações

Que Belo Monte de extinções

Que Belo Monte de extermínio

Que Belo Monte de ambição

Que Belo Monte de eletricidade


Que Belo Monte de vaidade

de cobiça

de morte...


Que Monte de coisas...que de Belo nada tem!




       foto retirada do blog

    As demais fotos foram tiradas do facebook.com/SaveXingu




Cláudia Anahí